Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Aluno > IFG > Últimas notícias > Valor da aproximação entre leitores e escritores é ressaltada na abertura do IX Café com Leitura
Início do conteúdo da página
IX Café com Leitura

Valor da aproximação entre leitores e escritores é ressaltada na abertura do IX Café com Leitura

O evento foi aberto com conferência e bate-papo com o escritor Marcelino Freire e conta com variada programação até esta quinta-feira, 21, no IFG Aparecida de Goiânia

Reitor do IFG, professor Jerônimo Rodrigues, e autoridades que prestigiaram a abertura do evento
Reitor do IFG, professor Jerônimo Rodrigues, e autoridades que prestigiaram a abertura do evento

Poesias e histórias de vida declamadas e relatadas pelo escritor Marcelino Freire envolveram o público na Conferência de Abertura do IX Café com Leitura e IV Seminário de Leitura, Espaço e Sujeito, nesta quarta-feira, 20. Após ouvir o escritor com atenção e momentos de risos, a plateia teve a oportunidade de dialogar com Marcelino sobre literatura, processo criativo e curiosidades de sua vida relacionadas ao ofício de escritor. A realização do evento é uma parceria da Universidade Federal de Goiás (UFG) com o Instituto Federal de Goiás (IFG). O reitor do IFG, professor Jerônimo Rodrigues da Silva, destacou, na cerimônia de abertura, a importância das diferentes formas de leitura para aquisição do conhecimento e a comprovada qualidade do Café com Leitura, por já estar em sua nona edição e reunir cada vez mais pessoas.

A abertura do IX Café com Leitura e IV Seminário de Leitura, Espaço e Sujeito foi feita no Aparecida Shopping e a programação segue até a noite de quinta-feira. O evento foi iniciado com uma apresentação do Grupo de Choro do IFG, formado por estudantes de Música do Câmpus Goiânia e que antecedeu a cerimônia de abertura do evento. A vice-reitora da UFG, professora Sandra Mara Matias Chaves, ressaltou a importância do Café com Leitura no momento em que o mundo vive de informações rápidas. Ela falou do valor do convívio com a leitura e do conhecimento que floresce da literatura. A coordenadora local do evento e bibliotecária do IFG – Câmpus Aparecida de Goiânia, Thalita dos Santos Dutra, fez um agradecimento a todas as pessoas que trabalharam e se esforçaram para tornar possível a realização do Café com Leitura no IFG.

Estavam também presentes à mesa simbólica de abertura, montada no estilo descontraído de cadeiras em um café, o superintendente de Turismo e Relações Internacionais de Aparecida de Goiânia, Guido Marco Brem, a diretora-geral do IFG-Câmpus Aparecida de Goiânia, professora Ana Lucia Siqueira de Oliveira, a diretora da Faculdade de Informação e Comunicação da UFG, professora Angelita Pereira Lima, a coordenadora de Eventos da UFG, Andréa Pereira dos Santos, e o representante do Instituto de Estudos Socioambientais da UFG, professor Egmar Felício Chaveiro. Todos destacaram, entre outros pontos, a importância do evento para a aproximação de leitores e escritores, considerando a presença de escritores do município de Aparecida de Goiânia, do escritor Marcelino Freire, que proferiu a Conferência de Abertura, e de diversos alunos e professores da UFG e do IFG, que quase lotaram a sala de cinema onde foi realizada a abertura do encontro.

 

O falar e o silêncio

Pernambucano da cidade de Sertânia, Marcelino Freire é autor dos livros “Contos Negreiros”, que recebeu o Prêmio Jabuti de Literatura em 2006, “Angu de Sangue”, “Nossos Ossos”, e vários outros. No diálogo com o público do Café com Leitura, apresentado pela coordenadora de Eventos da UFG, Andréa Pereira dos Santos, o escritor falou de sua cidade natal, das dificuldades enfrentadas por sua família e de seu envolvimento com a literatura desde a infância. Ele abriu à plateia lembranças da insistência de sua mãe para que os filhos estudassem, sua paixão pela poesia de Manuel Bandeira, a importância do incentivo de professores à leitura e sobre sua criação literária, que está muito relacionada ao falar de sua mãe e ao silêncio de seu pai, conforme explicou.

Marcelino revelou que atendia ao pedido da mãe para os estudos, mas que na escolha da profissão foi “atravessado pela poesia”, explicando que decidiu ser escritor. Ele falou ao público que a poesia precisa ser mais sentida que compreendida. “Eu precisei de um poeta para dizer o que eu não estava enxergando”, afirmou Marcelino, ao comentar que o poema “O Bicho” lhe proporcionou uma leitura de mundo sobre a fome e a miséria da humanidade. Outro poema de Bandeira que ele destacou ter marcado sua vida e definido seu caminho para tornar-se um escritor foi “Testamento”. “O que não tenho e desejo / É que melhor me enriquece...” começa a poesia, declamada com vivaz encenação por Freire.

 

Novo bate-papo

O escritor Marcelino Freire participa de novo bate-papo no IX Café com Leitura e IV Seminário de Leitura, Espaço e Sujeito às 19 horas desta quarta-feira, no Câmpus Aparecida de Goiânia do IFG. A conversa será mediada pela diretora-geral do Câmpus, professora Ana Lucia Siqueira. A programação nos dois dias do evento inclui ainda a apresentações de pôsteres, oficinas e mostra de documentários, a mesa-redonda “Leitura: Informação, técnica e sociedade” e um encontro com a bibliotecária, escritora e YouTuber Gabriela Bazan Padrão, da Universidade Estadual de São Paulo (UNESP).

Acesse a programação completa do evento

 

Imagens da abertura

 

Coordenação de Comunicação Social e Eventos / Câmpus Aparecida de Goiânia.

 

Notícias (Aluno)

Fim do conteúdo da página