Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Simpósio

"Corremos o risco de um apagão na Ciência", diz professora Agustina Echeverría, na abertura do III Simpoets

Criado: Segunda, 27 de Novembro de 2017, 18h04 | Última atualização em Terça, 19 de Dezembro de 2017, 11h54

 Terceira edição do evento vai até quarta-feira, com o tema Pensar a Educação, a Ciência e a Tecnologia como Elementos de Inclusão Social

Na conferência de abertura do III Simpósio de Educação, Tecnologia e Sociedade (Simpoets), realizada nesta segunda-feira, 27 de novembro, no IFG-Câmpus Inhumas, a professora da Universidade Federal de Goiás (UFG) Agustina Echeverría, doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), destacou a importância da Ciência para o desenvolvimento do país e criticou duramente os cortes de recursos enfrentados pelo setor. "O momento é de total sucateamento da Ciência no país. Corremos o risco de um apagão na Ciência", disse ela, durante a palestra com o tema A Ciência no contexto brasileiro: Temos um futuro? 

De acordo com a professora, é necessária uma grande mobilização da intelectualidade brasileira para que este cenário seja revertido. "Os cortes na área de Ciência e Tecnologia começaram em 2014. O Brasil ainda produz artigos pela dinâmica que a pesquisa tem, já que temos muitos projetos em andamento. Mas temos equipamentos cada vez mais sucateados, há uma fuga de cérebros para outros países, cortes de bolsas cada vez mais frequentes. Precisamos que as entidades se mobilizem para lutar contra esse retrocesso", destacou. Agustina aproveitou para parabenizar o câmpus pela escolha do tema do III Simpoets: Pensar a Educação, a Ciência e a Tecnologia como Elementos de Inclusão Social.

Mesa diretiva

A mesa diretiva da abertura oficial foi formada pelo diretor-geral do Câmpus Inhumas, professor Luciano dos Santos (que presidiu a cerimônia); pela pró-reitora de Ensino do IFG, professora Oneida Cristina Gomes Barcelos Irigon; pela gerente de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão do câmpus, professora Lorenna Silva Oliveira Costa; pela bibliotecária Maria Aparecida Rodrigues de Souza e pelos professores Kariton Pereira Lula e Elisângela Cardoso de Lima Borges. 

A professora Lorenna Costa agradeceu o empenho de todos os envolvidos na organização do Simpósio e desejou que os alunos possam aproveitar ao máximo o evento. A pró-reitora de Ensino, professora Oneida, destacou a importância da inclusão plena e do respeito à diversidade. "O III Simpoets traz discussões muito pertinentes e relevantes para nosso cenário de lutas enquanto educadores. Falar sobre a importância da educação, da ciência e da tecnologia como elementos de inclusão social é um grande desafio", comentou. 

O diretor-geral do câmpus, professor Luciano, lembrou que a primeira edição do Simpoets foi realizada no Câmpus Inhumas em 2008, com o tema Pensar a Educação, a Ciência e a Tecnologia na Sociedade Globalizada.  A segunda edição do evento, segundo ele, ocorreu em 2010 e promoveu discussões sobre o assunto Pensar a Educação, a Ciência e a Tecnologia na Formação da Diversidade. 

"Infelizmente, não houve continuidade. Mas agora, graças ao entusiamo de muitos servidores, dos alunos e também graças ao edital da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação do IFG, de apoio a estes eventos, conseguimos retomar o Simpoets. Ele ainda repudiou, veementemente, as informações divulgadas, na semana passada, pelo jornal O Estado de São Paulo e por outros veículos de comunicação, com base em relatório recente do Banco Mundial sobre a eficiência do gasto público no Brasil. "Os dados divulgados foram distorcidos e não representam a educação pública que tanto prezamos e pela qual lutamos."  

Programação

Durante toda a segunda-feira, palestras, apresentações culturais, oficinas, exposição artística e minicursos movimentaram o câmpus. A terceira edição do Simpoets é composta pelos seguintes eventos: 6ª Semana de Educação, Ciência e Tecnologia (Secitec) ; 9ª Semana do Livro e da Biblioteca do IFG Câmpus Inhumas; e Mostra Científica. Além disso, dentro da programação, também estão sendo realizadas atividades do Programa de Extensão - Proext 2017 (Construção de uma rede intermunicipal de artes: implementação, circulação e socialização de conhecimentos populares, folclóricos e eruditos, projeto coordenado no Câmpus Inhumas pelo professor Kemuel Kesley), como a oficina Práticas musicais com coral, ministrada nesta segunda-feira, 27, pelo professor convidado Helieber Ferreira. 

Para o estudante Marco Aurélio da Cunha Gomes, 15 anos, aluno do curso Técnico Integrado em Química, o primeiro dia do evento foi muito interessante. "Gostei da oficina sobre Produção de biomateriais de polissacarídeo de fonte renovável, porque aprendi muitas coisas na área do meu curso. As apresentações culturais também foram bem legais. Aliás, ali no pátio, um quadro que eu pintei está exposto entre as obras do Projeto Arte na Escola", contou.    

Na abertura oficial, a presentação artística ficou por conta do Quinteto Metais do Cerrado, grupo formado pelos seguintes músicos: Tonico Cardoso (trompete); Marcos Botelho (trombone); Alessandro da Costa (trompete); Ester Oliveira (tuba) e Igor Yuri Vasconcellos (trompa). Toda a programação do III Simpoets foi pensada para promover oportunidades diferenciadas de conhecimento, por meio de palestras, exposição de trabalhos dos alunos, minicursos, conferências e apresentações artísticas. Ampliar a divulgação das ações desenvolvidas no Câmpus Inhumas e fortalecer a integração entre as comunidades interna e externa são alguns dos objetivos do evento. O Simpósio segue até quarta-feira, 29 de novembro.  

 

Saiba mais sobre o evento aqui.

 

Fim do conteúdo da página