Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
energia solar

Sistema de geração de energia solar fotovoltaica entra em funcionamento no Câmpus Itumbiara

Além da economia na conta de energia, a instalação irá contribuir com área do ensino e da pesquisa nos cursos da Instituição

  • Criado: Segunda, 13 de Novembro de 2017, 17h16
  • Última atualização em Quinta, 16 de Novembro de 2017, 15h21


Destaque para as placas nos telhados

O IFG - Câmpus Itumbiara finalizou na última semana a instalação do sistema de geração de energia elétrica por meio da tecnologia solar fotovoltaica. Ao todo, foram instalados 260 módulos fotovoltaicos policristalinos, com capacidade de 70,2 kWp (quilo-Watt-pico), o que equivale aproximadamente ao abastecimento de 70 casas populares.

A micro usina solar (UFV) foi instalada parte nos telhados dos blocos de sala de aulas, e a outra parte no solo, de forma a facilitar o desenvolvimento de aulas práticas e pesquisas científicas com a participação de alunos, comunidade e pesquisadores. O sistema conta ainda com uma estação meteorológica para o registro de dados de radiação solar, velocidade do vento e temperaturas ambiente e dos módulos fotovoltaicos para subsidiar os estudos que alunos e professores realizarão ao longo do tempo.

Com o funcionamento da micro usina de energia solar, o IFG entra na “lista das instituições que contribuem para redução da emissão de CO2”, o que também significa “mais uma etapa rumo à consolidação do Câmpus de Itumbiara como referência em energia solar fotovoltaica no estado de Goiás”, afirma o coordenador do Núcleo de Pesquisa e Inovação em Fontes Renováveis de Energia (NupSOL), Olívio Carlos N. Souto.

Com a instalação do sistema fotovoltaico haverá uma redução significativa de 25% nos valores pagos na conta de energia elétrica mensal do Câmpus (que custa em média entre R$ 20 mil e R$ 25 mil por mês). Mas, segundo os docentes envolvidos no projeto, o maior benefício para a Instituição: “será proporcionar a formação de mão de obra especializada, a oferta de cursos de curta duração na área de sistemas fotovoltaicos e o fortalecimento do processo de ensino e aprendizagem através de aulas práticas”, explica o coordenador do curso de especialização em Fontes Renováveis de Energia, professor Sérgio Silva.


 
Expansão
Outro sistema similar ao de Itumbiara deve entrar em operação no Câmpus de Uruaçu até o final deste ano. A instalação deste sistema já foi concluída e aguarda a troca do medidor bidirecional para que possa entrar em funcionamento. Também está previsto para 2018 a implantação sistemas de micro e minigeração solar fotovoltaico com capacidade de 1.000 kWp distribuídos em 9 câmpus do IFG, além da substituição de cerca de 26 mil lâmpadas de baixa eficiência por sistema de iluminação com tecnologia LED.

Ainda no Câmpus Itumbiara, será instalado mais um sistema fotovoltaico de 170 kWp, além das substituições das lâmpadas, possibilitando compensar completamente o consumo de energia conforme estabelecido pela resolução 482/2012 publicado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) . Tudo isso será possível porque o IFG teve projeto selecionado pela Aneel/Celg, na Chamada de Projeto Prioritário de Eficiência Energética e Estratégico de P&D nº 001/2016, comenta o coordenador do projeto, professor Ghunter Paulo Viajante.

 

 

 Vista aérea do Câmpus Itumbiara com destaque para as placas nos telhados e no solo (parte superior da imagem)

 

Setor de Comunicação Social e Eventos – Câmpus Itumbiara.

Fim do conteúdo da página