Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
5º silc

Câmpus Uruaçu recebe intercambistas no 5º Sábado de Imersão em Línguas e Culturas

Criado: Segunda, 21 de Maio de 2018, 12h59 | Última atualização em Segunda, 04 de Junho de 2018, 16h06

5º Silc foi realizado no último sábado, 19, em parceria entre a AFS Comitê Uruaçu e o IFG Câmpus Uruaçu

 

Em sua 5ª Edição, o Sábado de Imersão em Línguas e Culturas (Silc) trouxe até Uruaçu um recorte da língua e da cultura de diversos países, incluindo o Brasil. De apresentação de catira a aulão de Zumba, o evento foi um espaço para conhecer melhor diversas culturas e bater um papo com estudantes de outros países, como Itália, Bélgica, Turquia, entre outros. 

A coordenadora do Comitê Uruaçu da AFS, Ana Paula Moreira, aponta que a motivação do SILC é promover o encontro do público com culturas diferentes. "O bate-papo intercultural com os intercambistas presentes no evento mostrou um pouco das características e, também, das dificuldades de cada país", diz Ana Paula. 

A representante do comitê também lembra que o SILC surgiu da iniciativa de professores do IFG Câmpus Uruaçu, em parceria com a AFS. Em 2017, o SILC foi eleito o melhor evento intercultural pela AFS, entre 80 ações de outros países. 

 

Intercâmbio

A estudante belga do curso técnico em edificações do Câmpus Uruaçu, Anouschka van Keulen, 18 anos, demorou três dias para preparar a sala temática de seu país, decorada com bandeiras, cartões e desenhos. Em sua apresentação, canta músicas de artistas belgas, para um público jovem e interessado em aprender mais sobre outros países e suas culturas. 

A intercambista volta para Leuven, na Bélgica, no final de junho. O SILC é mais uma oportunidade para a troca de experiências interculturais e, também, uma forma de despedida do Brasil. 

Anouschka lembra, em bom português, como foi difícil sua chegada no país tropical. "Demorei dois a três meses para aprender a língua e, nesse período, eu não conhecia ninguém, tudo era muito diferente". Superado o choque cultural, a estudante agradece por todas as amizades que fez no país. "São pessoas que vou levar comigo pra sempre, elas fazem a experiência junto com você". 

Ela não esconde a vontade de ver a família e os amigos na Bélgica, mas também não quer deixar tudo o que viveu no Brasil. "É como se eu tivesse duas vidas muito diferentes, uma aqui e outra lá", declara Anouschka. 

Para conciliar os dois mundos, Anouschka escreve em um blog, onde seus seguidores belgas podem acompanhar seu dia-a-dia e conhecer mais sobre o Brasil. Escrito em holandês, uma das línguas oficiais da Bélgica, a estudante também convida os brasileiros para lerem seu blog. "O pessoal daqui também lê o blog, é só usar um tradutor online e pegar aquelas traduções engraçadas", comenta. 

 

Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Uruaçu.

Fim do conteúdo da página