Programas para Alunos

  • Imprimir
Criado: Quinta, 17 de Março de 2016, 09h08 | Última atualização em Segunda, 08 de Janeiro de 2018, 16h37

O IFG, por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica , Tecnológica e Inovação (PIBICTI), oferece bolsas para os estudantes dos cursos técnicos de nível médio e dos cursos superiores, levando em conta os ingressantes das políticas de ações afirmativas.

 

Além disso, incentiva estudantes apresentarem trabalhos em eventos científicos e tecnológicos e o desenvolvimento de projetos tecnológicos e de inovação. Além das bolsas vinculadas a esse programa, são ofertadas bolsas ligadas ao CNPq e, pelo Programa Institucional de Qualificação (PIQ-Aluno), bolsas de mestrado e doutorado aos alunos de pós-graduação Stricto Sensu do IFG.


 

Programa institucional de bolsas de iniciação científica, tecnológica e inovação (PIBICTI)

O PIBICTI é voltado para os estudantes dos cursos técnicos e superiores do IFG. Destina-se a complementar o ensino, oferecendo aos alunos a oportunidade de descobrir como o conhecimento científico e tecnológico é construído. Esse objetivo é alcançado com a participação do estudante nas atividades teóricas e práticas no ambiente de pesquisa. Esta vivência possibilita ao estudante ver e entender o mundo sob o prisma da ciência.

Este Programa, que concede bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica para estudantes do IFG, organiza-se em cinco categorias:

 

Bolsas de Iniciação Científica (Pibic): é destinado aos estudantes de cursos superiores.

Bolsas de Iniciação Científica nas Ações Afirmativas (Pibic-Af): é destinado aos estudantes de cursos superiores, que tenham ingressado na Instituição pelo sistema de cotas.

Bolsas de Iniciação Científica no Ensino Médio (Pibic-Em): é destinado aos estudantes de cursos técnicos de nível médio.

Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibiti): é destinado aos estudantes de cursos superiores.

Programa Voluntário de Iniciação Científica (Pivic): é destinado aos estudantes voluntários de cursos técnicos e superiores.

  

Para ingressar no programa, o estudante deve realizar sua inscrição conforme editais publicados pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, que são publicados no início de cada ano.

 

 

Bolsas do CNPq

O IFG tem convênio firmado com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) em que recebe, duas vezes por ano, uma cota de bolsas dos programas Pibic, Pibiti, Pibic-AF e Pibic-EM, que são administradas pelo IFG, conforme regulamentação da Instituição e as normativas do CNPq. Estas bolsas, em conjunto com aquelas pagas com orçamento da Instituição, constituem o quantitativo de bolsas disponibilizadas anualmente nos editais da pró-reitoria.

 

De dois em dois anos, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica, Tecnológica e Inovação (PIBICTI) é avaliado pelo CNPq de modo a definir o quantitativo de cota disponibilizada. A avaliação deste programa é realizada por um Comitê Externo, formado por pesquisadores do CNPq, que leva em conta o processo de seleção e distribuição das bolsas, a demanda de bolsas e a qualidade dos trabalhos apresentados no Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica (SICT).


Programa Institucional de Qualificação (PIQ-Aluno)

O PIQ-Aluno oferece bolsas para alunos de pós-graduação Stricto Sensu do IFG. Foi criado em 2015 e tem como objetivo apoiar a formação de recurso humanos qualificados em nível de pós-graduação; fortalecer os programas de pós-graduação do IFG com a concessão de bolsas a alunos de mestrado; contribuir para a consolidação do Instituto Federal de Goiás como um centro de referência em pesquisa e pós-graduação.

 

É realizado por meio de edital que visa à concessão de bolsas individuais aos alunos que estiverem regularmente matriculados em um dos cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrados) do IFG. Estas bolsas, financiadas com recurso próprio da Instituição, tem uma duração máxima de 24 meses.

 

Para concorrer a uma destas bolsas o aluno deverá atender aos seguintes requisitos:

  •  Estar regulamente matriculado em um curso de pós-graduação em nível de mestrado do IFG, sendo vedada a concessão de bolsas a candidato aceito na condição de aluno especial.
  • Não possuir qualquer relação de trabalho com o IFG.
  • Dedicar-se, preferencialmente, em tempo integral às atividades da pós-graduação.
  • Não possuir titulação maior ou equivalente àquela a ser obtida com a concessão da bolsa.
  • Possuir currículo cadastrado e atualizado na plataforma Lattes do CNPq.
  • Possuir projeto de pesquisa e plano de trabalho aprovados pelo orientador.
  • Não receber qualquer modalidade de bolsa de outro programa do IFG ou de outra agência de fomento nacional ou estrangeira.

 


 

Apresentação de trabalhos em eventos (Paect)

Programa Institucional de Incentivo para Estudantes da Iniciação Científica e Tecnológica do IFG  apresentarem trabalhos em Eventos Científicos e Tecnológicos.


Para participar do programa, o estudante deve realizar sua inscrição conforme o edital e regulamento publicados pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.

 

Solicitação
A solicitação deve ser feita por meio de processo administrativo, protocolado e encaminhado à Gerência de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão (Gepex) do seu câmpus, com a seguinte documentação:
- Formulário para solicitação de auxílio, devidamente preenchido e assinado pelo orientador, chefe de departamento e responsável pelo setor de pesquisa do câmpus;
- Primeira página do currículo na Plataforma Lattes do aluno, comprovando sua atualização no mês da solicitação;
- Orçamento impresso dos itens previstos na planilha de custos (passagem, hospedagem, taxa de inscrição, impressão de pôster);
- Programação detalhada do evento (com descrição do evento e das atividades);
- Termo de aceite do trabalho, emitido pelo Comitê Científico do evento;
- Cópia impressa do trabalho a ser apresentado e publicado nos anais ou caderno de resumos do evento;
- Declaração do aluno de que arcará com as despesas que excederem o valor concedido.
- Parecer da GEPEX


Concessão
O auxílio é depositado na conta-corrente do aluno.


Prestação de Contas
O aluno deverá encaminhar à Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação , até 15 dias depois do retorno da viagem, os seguintes documentos:
- Relatório de atividades, feito em formulário próprio;
- Cópia dos certificados de participação no evento e de apresentação do trabalho;
- Cópia do trabalho publicado nos anais do evento;
- Artigo apresentado/publicado nos anais do evento disponibilizado em meio eletrônico.


 

Ciência sem Fronteiras

O Ciência sem Fronteiras é um programa do Governo Federal que busca promover a consolidação, a expansão e a internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira, por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes, e Secretarias de Ensino Superior (SESU) e de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) do MEC.

 

Este programa prevê a concessão de 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e à inovação. Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no Programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior.

 

As áreas prioritárias do Programa Ciência sem Fronteiras são:

  • Engenharias e demais áreas tecnológicas;
  • Ciências Exatas e da Terra;
  • Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;
  • Computação e Tecnologias da Informação;
  • Tecnologia Aeroespacial;
  • Fármacos;
  • Produção Agrícola Sustentável;
  • Petróleo, Gás e Carvão Mineral;
  • Energias Renováveis;
  • Tecnologia Mineral;
  • Biotecnologia;
  • Nanotecnologia e Novos Materiais;
  • Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais;
  • Biodiversidade e Bioprospecção;
  • Ciências do Mar;
  • Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação);
  • Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;
  • Formação de Tecnólogos.


Para pleitear uma bolsa do Programa Ciência sem Fronteiras, o aluno de graduação deverá atender aos seguintes requisitos:

  • possuir nacionalidade brasileira;
  • estar matriculado em curso de nível superior nas áreas prioritárias do programa;
  • apresentar perfil de aluno de excelência, baseado no bom desempenho acadêmico (possuir Coeficiente de Rendimento Acadêmico maior ou igual a 6,0)
  • ter concluído ente 20% e 90% do currículo previsto para o curso (na data prevista para a viagem);
  • ter obtido nota no ENEM igual ou superior a 600 pontos;
  • não ter sido contemplado com bolsa de graduação sanduíche financiada pela CAPES ou CNPq;
  • obter nota mínima no teste de proficiência de acordo com a exigência do país de destino (verificar em cada edital).

 

Inscrição
Para se inscrever, o estudante deverá preencher ficha de inscrição no sítio oficial do Programa Ciência sem Fronteiras (acesse aqui), anexando toda documentação comprobatória (Histórico Escolar; comprovante de prêmios obtidos ou de participação em Programas de Iniciação Científica e Tecnológica ou de Iniciação á Docência). Além disso, o estudante deverá também entregar, para o processo de homologação de sua candidatura, a seguinte documentação na Gerência de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão do Câmpus GEPEX):

  • formulário de inscrição segundo modelo próprio, devidamente preenchido e assinado;
  • cópia do comprovante de matrícula;
  • cópia do Histórico Escolar atualizado, contendo o Coeficiente de Rendimento Acadêmico;
  • cópia do comprovante de prêmios obtidos ou de participação nos programas PIBIC, PIBITI e PIBID.

 

O candidato selecionado pelo Programa Ciência sem Fronteiras deverá providenciar toda a documentação prevista no Edital do Programa e também elaborar, em conjunto com o Coordenador de seu curso, um plano de atividades, contendo a relação de disciplinas a ser cursadas e uma justificativa da importância do intercâmbio para sua formação (clique aqui para baixar o modelo).

 

Mais informações, acesse os documentos das Chamadas Públicas CAPES/CNPq (veja instruções aqui)

Chamadas abertas (resumo das chamadas)

Mais informações poderão ser obtidas na página do Programa Ciência sem Fronteiras